sexta-feira, 20 de abril de 2012

Misterioso Segredo

Basta de dor! Chega de soluçar, enxuga os teus olhos meu amor! Enxuga!
Basta de lágrimas de dor no teu olhar! 
Sorri meu anjo, pois tudo passará. Por que tremes assim, pobre criança?
Se a justiça da terra te abandonou, se a justiça do céu de ti se esquece. Vamos acabar a história.
Não vês o quanto teu coração sente fome!
Estás carente! Acalma-te.Amanhã chorarás mas de alegria será!
Venha amiguinha! Vamos pelos desertos vagar.
Pousa a cabeça em meus joelhos e veja: O céu se iluminou! 
A floresta ruge, como um grande leão que acorda de um sono profundo.
Vistes? Há esperanças! Tu guardas algum segredo! Estás novamente a chorar! Onde vais?
Por que foges rio abaixo, a deslizar?
Leva-me agora contigo moça triste, pelo rio deserto ao longe, ao longe!E lá no meio do rio, tu cintila,parece mais a vista do sol poente. A luz que de ti provém revela: És uma deusa! Eu desvendei teu segredo! E em meio às flores vais escorregando a cada onda sobre o rio! Espere por mim. Vamos, vamos, aqui por entre os juncos. Que linda e delicada deusa triste. Voava sobre as águas, ao soprar do vento! Pela testa, caiam-se os cabelos enrolados e louros. És uma linda visão.
Filha das ondas! Andorinha arisca, tu que ainda há pouco choravas... Bem feliz tu estás agora! A sombra verde palmar pudesses flor apanhar! E seguindo teu caminho, tendo por teto o céu e por leito um jardim de lírios! Então voa misteriosa deusa, leva o teu segredo contigo.
Se voltares com medo, não importa do que seja, estarei sempre aqui. És do céu, linda donzela! Eu te amo, ó mimosa do infinito.
Não me esqueças nunca, ó flor das águas brancas e frias!!! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário